Uma mãe e um pai. Só por isso há dia das crianças

Dia das crianças…
E eu só penso no amor
No quanto olhando para nossos filhos esquecemos dá origem desta alegria que a infância proporciona.
Como esquecemos de agradecer aos pais e o momento em que amor gerou vida, nos esquecemos deste lugar de entrega onde fomos co-criadores com O Criador.

Esquecemos de agradecer por este estado da criação, este estado do êxtase de uma noite só. Ou dos anos sonhados, possíveis de ser visto através dos olhos do parceiro a nossa frente…quem já não amou assim? De olhar e sonhar uma vida junto do outro, do amor conquistado, da vida toda que seremos dois para alguém, uma vida toda partilhando as vitórias e tristezas deste ser pequeno e frágil que nos chama de mãe e pai.

São estes amores que geram vida, duas, três…vidas.

E mesmo sendo dia 12 de Outubro dedicados a infância, aos nossos filhos e no quanto merecem ser amados, presenteados, acalentados…

Ainda gosto de sonhar, gosto de sentar e ver as crianças sendo amadas por seus pais… às vezes só com a mãe ou pai… mas ainda assim metade de mais alguém…

Eu pretendo sentar com meus filhos e relembrar quanto amor havia no momento em que foram sonhados, concebidos…

Quanta paixão carregou aquele instante…e por isso há sempre amor.

E ano após ano…este tem sido o meu melhor presente.
O mais certo que tenho para ofertar…já que haverão anos que não comprarei presentes…por falta de grana, ou falta de crença no ato comprar…
Eu não sei ao certo o que é certo…ou se há receita com relação ao CONSUMO X CRIANÇA que tanto debatemos nos LIVES desta semana…também estou aprendendo com meus três pacotinhos.

Eu posso afirmar que meus três filhos foram recebidos com a força do amor… havia ao meu lado um homem, dizendo sim para a vida, dizendo sim para ao amor e me apoiando.
Homens que também estavam no seu melhor e sustentaram a paternidade naquele momento.
Homens que seguiram com defeitos assim como eu segui com os meus…
Mas em comum, quando nos foi pedido o sim, pudemos sustentar.

Esta coragem me presenteia até hoje. Está coragem fez de mim a mãe do Tom, da Cata e do Jojo.

Quando eu olho para os meus filhos eu posso escolher: presentear com o melhor do amor, presentear com o momento que dissemos sim a vida e esta se encarregou de fazer a magia.

E aqui estamos…

Pais e mães fazendo o nosso melhor e com certeza, aquilo que combinamos com cada ser, cada vida. Cada vida que também já sabia o seu caminho, já sabia o que cada um de nós pais poderia dar.

Não importa se a paixão passou, o amor desabou…

As crianças só precisam saber que foram fruto do nosso melhor momento.

As crianças só precisam saber que houve um sim.

Talvez um sim meio inconsciente, inconsequente e que nos leva para longe…leva uma vida toda para voltar e para sonhar de novo, para ser este lugar na vida dos filhos outra vez.

E neste dia 12 de outubro é desejo que nosso maior presente com as crianças seja a nossa presença, reconstruída do lugar sagrado onde o amor os gerou.

Está é a minha esperança e também minha gratidão. Não construí sozinha estas histórias.

Mãe do Tom, da Cata e do Jojo.