DIA DOS NAMORADOS!

Aproveitar o palco montado pelo dia dos namorados para fazer uma reflexão que certamente será encarada por muita gente como “dor de cotovelo” e é exatamente sobre esse pensamento que eu quero falar.
Descobri aos 13 anos que se você não tem com quem viver o 12 de junho, provavelmente, fracassou. Não importa quão legal você seja, se tem coisas interessantes a dizer, se teve êxitos profissionais significativos, se viveu experiências incríveis viajando por aí, se você não tem um namorado -que pena!-, fracassou!
Quando aos 16 comecei o meu primeiro relacionamento, me lembro bem do alívio de finalmente mudar o status e provar sei lá para quem que eu tinha “dado certo”. Antes disso, foram promessas mil para Santo Antônio, simpatias, voltas e voltas ao redor da matriz de Cachoeira, e drama! Muito drama para alguém que era apenas uma menina.
Cresci e hoje, 10 anos depois, ainda preciso dar as tais “satisfações”. Não querem essencialmente saber do que eu fiz, quantas histórias escrevi, o que aprendi por aí e que mulher me tornei. “E o namorado?” é a pergunta que ninguém nunca cala. Quase um assombro para essa gente que eu esteja há tanto tempo solteira. As reações diante do estado civil são variadas. Posso ler na cara de alguns “coitada, não consegue ninguém” , outros “ela deve ser uma pessoa difícil”. Até os bem intencionados tentam justificar : ” É mulherão demais”, “Tem outros objetivos na vida”.
O que eu gostaria, do fundo do meu coração – que já amou e vive amando muito alguém- é, simplesmente, que isso não fosse uma questão.
Que não me impusessem tristeza por estar sozinha no dia de hoje ou, por outro lado, que não me impusessem a necessidade de provar, saindo com as amigas e curtindo muitão, que eu “estou muito bem, obrigada”. Não temos que provar nada para ninguém somente porque a sociedade instituiu que se você é mulher e está solteira, é o ser mais infeliz da face da terra.
Eu não tenho nada contra o amor – talvez esse texto esteja sendo escrito por uma das pessoas mais apaixonadas que vocês já trocaram umas palavras (quem me conhece sabe)-, mas nos deixem em paz.
Eu não estou namorando, porque não tive a sorte de um amor correspondido, ou porque não está nos meus planos, ou porque ainda não encontrei ninguém que me desperte para esse desejo, ou porque não gosto de colocar etiqueta nas coisas. Por qualquer motivo. Não importa! Não estou namorando, porque não. E eu gostaria que não fosse necessário fazer um textão para contar a vocês que estar solteira não deveria ser um problema. Ufa!
Muito amor para todos!
P.s: Foto de um dos dias mais felizes da minha vida. Olha que bizarro, além do moço dirigindo, não havia absolutamente ninguém comigo! 😱

Texto lindo escrito por: Paula Ferreira, minha amiga.

https://www.facebook.com/paula.ferreira.7370?fref=nf