FINADOS

Dia 02 de Novembro é dia de celebrar os mortos.

Vi cor e amor passando em frente a um cemitério desses gramados, sem lápides  e lá vi um campo florido. Uma saudação daqueles que recordaram com um tanto mais de saudades dos seus entes queridos.

Meus olhos viram amor no gesto, tentativas reais de expressar a saudade.

No vídeo desta semana, no meu Canal, tentei retratar o quanto as correntes espiritualistas defendem a reencarnação como caminho de desapego e com isso acalmam a alma dos saudosos sim, ao pensar que em breve, reencontrarmos aqueles que tanto amamos e que momentaneamente partiram.

Mas trago uma observação  importante e que levei tempo assimilando: o entendimento da espiritualidade nas linhas reencarnacionistas não amenizam a saudade ou a recente dor da perda da pessoa amada ao ponto de simplesmente sublimarmos todos estes sentimentos tristes entendem? 

Precisamos viver o luto, sentir, chorar, relembrar. Quando possível, claro: de um lugar bom e grato, pois saber que em breve nos reencontremos com nossos entes queridos é uma delicia, reconforta de fato, mas não trás de volta.

Viver a saudade não precisa ser algo sempre ruim.

Vamos escolher guardar momentos bons e nos sintonizar com esta saudade desse lugar sagrado? 

Foi isso que senti ao ver um cemitério florido. 
Cor em meio à dor da saudade.

Nossa atitude diante da morte, do desencarne  precisa ser respeitada.

A saudade e as lágrimas merecem lugar.

Ana Ariel ( uma neta com saudades também, que compreende, mas sente muita falta).

Assista o vídeo em: https://www.youtube.com/watch?v=4B4X94oXpGg